BARDANA, EXTRAORDINÁRIO PRESENTE DA NATUREZA


Bem no início dos anos 80 conheci a raiz de bardana num restaurante macrobiótico, de onde guardo as mais ternas lembranças: românticas, estudantis e gastronômicas. Achei aquilo tudo um banquete, que saltava aos olhos. O pastel assado de bardana que era prata da casa, me acompanhou na memória e no coração durante anos. Um amor me apresentou esse universo - o que mostra o poder da memória do afeto... até hoje toda vez que vejo bardana me lembro dele e do nosso romance.
A bardana a gente come refogada, normalmente.
Tem um gostinho delicioso de terra molhada, pelo menos eu acho, talvez inspirada pelo climão do passado, mas seu gôsto é inconfundível e seu preparo é muito fácil.
Tem muitas propriedades benéficas para o organismo, e é usada tanto para comer como para uso externo, com uma infinidades de propriedades que nem vou escrever aqui, mas deixo o link para a matéria muito boa do Curas pela Natureza, linke aqui, e veja outros usos como chás, depurativos,  pomadas, cataplasmas e etc. Não é a toa que eles chamam a bardana de extraordinário presente da natureza.
E ah, sim, ela tambem é conhecida como gobô, um nome que traz a sua origem oriental.

O site Tua Saúde, de onde vem a linda foto da bardana em flor, nos conta um pouco mais sobre esse presente, abre aspas: A Bardana é uma planta medicinal, também conhecida como Bardana-maior, Erva-dos-pegamassos, Pega-moço ou Orelha de gigante, muito utilizada no tratamento de acne.
O seu nome científico é Arctium lappa e pode ser comprada em lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação e em algumas feiras livres.
A Bardana serve para ajudar a tratar espinhas, caspa, abscesso, acne, eczema, anemia, bronquite, pedra nos rins, coceira, feridas, cólicas, prisão de ventre, furúnculo, gastrite, gota, psoríase, artrite reumatoide, escabiose, escorbuto, herpes labial, lepra, micose, sífilis, diabetes, gases, má digestão, dor de garganta, sarampo, catapora, febre, gota, reumatismo, cistite e retenção de líquidos.
As propriedades da Bardana incluem sua ação antibactericida, fungicida, adstringente, anti inflamatória, anti-séptica, antipirética, calmante, cicatrizante, depurativa, diurética, fungicida, tônica, laxante suave, probiótica. fecha aspas.

O preparo:
Quando compro na feira orgânica ela dura dias na geladeira porque vem embalada raiz por raiz.
No preparo a gente faz assim:
Em baixo da torneira aberta descasque a bardana (tem gente que come com casca, eu não) porque ela começa a escurecer muito rapidamente. Ao lado deixe um prato com água. Aponte a raiz como se estivesse apontando um lápis, e coloque no molho com água e uma gotinhas de vinagre se quiser.
Na frigideira, coloque azeite e refogue uma cebola cortada em pétalas, até ficar dourada.
Acrescente a bardana e continue refogando para incorporar o azeite em todos os pedacinhos.
Coloque algumas gotinhas de água e tampe a frigideira. Deixe cozinhar um pouco, e mexa novamente. Quando estiver ficando macia, coloque shoyu, no olho. Se quiser mais escura, coloque mais, e vice versa. Eu gosto do meio termo. Acrescente mais um pouco de água e deixe cozinhar.
No final, coloque cebolinha picada. Pronto, viu que fácil?
Coma quente, como acompanhamento. Coma como salada, enriquecendo com lascas de castanha do pará. Combina super, dica do restaurante Integrão, muitos anos de boa comida e de boas amizades.
Combina muito com quinoa, castanhas e vegetais e claro; com arroz integral, feijão azuki, verdura cozida, macrobioticamente assertivo!


Para finalizar, uma onda de romantismo; eu estava de rosa, chovia, era novembro, e tocava Djavan- Pétalas, como o corte da cebola.
When you say "I love you" it means "I can offer you true peace and happiness". In order to be able to offer them, you must already be able to offer them to yourself.
Thich Nhat Hanh.
Tudo está em sintonia,
Namastê!

Fotos de acervo
Foto da bardana em flor, aqui
Créditos para Tua Saúde e Curas pela Natureza
Thich Nhat Hanh



Comentários