FUDGE DE CHOCOLATE COM AMENDOAS: KRY MARRUECOS

Podemos começar pela sobremesa?
Minha amiga Mara me visitou recentemente, e trouxe de presente uma série de quitutes feitos pela sua amiga Kry Marruecos: ghee, granola salgada, molho thai e fudge de chocolate com amendoas. Ficar na companhia destes quadradinhos pecaminosos requer coragem!
Mas no penúltimo pedacinho comemorei - vitória! Consegui prolongar minha acentuada tendência chocólatra por quase quinze dias. Isso não tem cura, amor por chocolates.... por isso não deixo nada por perto que me lembre, exceto alfarroba. Já comi nescau na colher, hoje estou muito mais tranquila, mas não cutuque a onça com vara curta.
Uma prova que sou chocólatra é fazer o almoço pensando na sobremesa.
Tem que ser algo rápido, leve e que combine. Uma sobremesa desse quilate combina com massa, claro!
Encontrei no mercado um ravioli que tem sido o chamariz para os finais de semana: leve e deliciosamente recheado com ricota e espinafre.
Não sou fã de molhos cremosos, no máximo um molho de tomate simples, feito no capricho sem pele sem sementes, manjericão e azeite. Ou um molho pronto orgânico Fruto do sol, que não perde em nada para os feitos em casa, `a exceção que os tomates vem com as sementes, mas isso de vez em quando vá lá...


Esse ravioli não precisa de molho algum, só um fio de azeite do bom por cima.
E para preparar o paladar para a doçura dos fudges, temperar o prato com alho negro é a deixa. Apesar de ser adocicado, o gostinho do alho vem soberano, e depois dele, neutralizar com um ótimo chocolate é a glória. Dizem que pensar desse jeito é gordice. Confesso: é isso mesmo. Quantas vezes abuso do alho só para dar a desculpa de precisar de um docinho depois.
Salsinha e iogurte para quem aprecia alho, neutralizam aquele gosto que permanece horas depois de comer, isso no modo saudável. No modo "pé na jaca" chocolate é a pedida. Quem não ama?
No almoço tem:
Abobrinha refogada no ghee com alho negro e tempero caseiro,
ricota de ovelha esfarelada com oregano e azeite, e ravioli.
Prontinho, tá servido!
Sobremesa... nem preciso dizer.
E no jantar?
Como o dia foi um pouco abusivo, teve suco de cenoura com laranja, e uma maçã.

Em tempo: não recomendo substituir refeições por frutas, até mesmo porque eu almoço muito bem e janto frugalmente todos os dias. Já a maçã depois do jantar é sagrada, é milagrosa.
Sempre `a noite, após as 18 horas.
Aprendi com uma médica que me consultei ano passado. 
Não questionei, não sei o porquê, nem me perguntem, mas dá certo. E para todo mundo que recomendo essa dica, vem depois me agradecer. E eu agradeço `a medica e a minha inesgotável curiosidade de querer experimentar bons conselhos sempre que meu ser interior dá sinal verde. Quanto a maçã, em trocadilho, provei das vermelhas, das verdes ainda não.
Só tomo muito cuidado com o tipo e a procedência; nada pior que maçã com gosto de nada, de tanto agrotóxico. As orgânicas sem estarem azedinhas quando acho, eu aproveito. Neste momento tenho consumido maçã chilena do tipo gala que dá água na boca, e quando não é orgânica eu não como com casca, contrariando a recomendação que ali estão as vitaminas, mesmo assim obrigado, eu passo.
Todas as imagens são de acervo pessoal, menos a da maçã, que veio daqui, onde tem boa info.

An apple a day, keeps the doctor away.
Namastê!

Obrigado Mara pela visita e pelos presentes!
Kry Marruecos deixo na imagem seu contato, vale muito a pena, quantas delicias.

Comentários