VAGEM: "FEIJÃO IMATURO" QUE FAZ BEM


dizia hipócrates; os feijões são tão nutritivos que poderíamos viver só deles… se não fôssem tão tóxicos...

Feijões: sigo à risca a orientação da querida Pat Feldman sobre deixar de molho em meio ácido como limão, vinagre ou o soro de iogurte caseiro, e quando eles estão quase brotando cozinho lentamente em fogo baixo com especiarias, à moda da Marise Berg.
Com esse time como base não tem como errar.

Claro que este processo de cozinhar não é a mesma coisa que escolher, lavar e colocar na panela de pressão com duas folhas de louro como faz muita gente e muitos restaurantes, porisso evito comer feijão fora de casa...
O processo correto exige tempo, paciência e planejamento.
Mais que isso, exige profundo respeito por si e pelo alimento que se ingere.

Nem sempre conseguimos planejar esse ritual, porisso o artigo abaixo foi bastante transformador para mim, que como parte do dia fora de casa, e não costumo incluir feijões ou soja e muito menor proteína de soja no cardápio da rua - resultado, fico com deficiência nutricional.
Ele me despertou para algo que nunca dei a devida importância, atende pelo nome VAGEM; alimento da primeira esfera, gostoso, fácil de preparar, MUITO nutritivo, e melhor: farto em muitos restaurantes.

De boa, adoro ter a oportunidade de rever um hábito alimentar para melhorar a saúde.
Definitivamente a soja e seus derivados não servem para mim.
Os fermentados juro que tento comer, mas só consigo com muita moderação, como o tofu.
Leiam o artigo todo, pensem, repensem....e me perdoem os entendidos no assunto.
Eu não sou mas tenho um ótimo faro para saber se algo vai me servir ou não.
Como serviu...
Namastê!

Soja: mitos e verdades / Puravida
texto completo LINKE AQUI 
 
O Feijão Nosso de Cada Dia

Culturalmente os feijões são ingredientes consagrados da culinária do Brasil e de diversas partes do mundo. O prato mais famoso da culinária brasileira é a Feijoada, e o arroz com feijão considerado como a estrutura nutritiva de toda uma nação.

A pergunta que fica é: será que um ingrediente que requer tantos métodos de transformação para ser consumido sem problemas deveria ser considerado um alimento tão essencial assim? Os melhores alimentos são aqueles que a Natureza fornece já prontos: folhas verdes, frutas silvestres. Estes sim devem ser consumidos com freqüência abundante.

Tudo o que você pode encontrar nos feijões você também encontra em outros alimentos, sem as desvantagens e com muito mais facilidade de preparo. Ferro, magnésio, proteínas, molibdênio… estes e outros nutrientes você encontra suficientemente nas folhas verde escuras, sem dúvida a fonte de alimento mais abundante, rica e medicinal deste planeta. Um belo e consistente suco de folhas verdes, acompanhado de outros ricos e nobres elementos dietéticos como, por exemplo, a semente de linhaça, supre tudo o que você pode obter nos feijões, sem lhe deixar pesado e com o pensamento lento, muito pelo contrário.

É importante lembrar que quanto mais leve e de fácil digestão é uma refeição, melhor, mais dinâmico e capaz de realizar qualquer coisa você se sentirá nas próximas horas.
Os antigos membros da escola do sábio Pitágoras observavam a total abstenção de feijões em geral, assim como faziam com a carne, pois estes eram considerados “alimentos impuros” e de difícil digestão, responsáveis pelo embotamento do intelecto e das percepções sutis.

E dizia Hipócrates, o “pai” da medicina ocidental: “Os feijões são tão nutritivos que poderíamos viver só deles… se não fôssem tão tóxicos.”

Para concluir, feijões, desde que preparados dentro dos critérios descritos, podem muito bem fazer parte de uma dieta leve e saudável, porém não são absolutamente necessários. Existem fontes mais leves, mais digestivas e de preparo mais simples para se obter os importantes nutrientes. Se ainda assim escolher os feijões como fonte de nutrientes, lembre-se de germiná-los por alguns dias antes de cozinhar.
Faz uma enorme diferença, e você certamente terá menos gases.


Finalmente, uma das mais agradáveis formas de se apreciar os feijões é através de suas vagens. Neste estado ainda se encontram livres de inibidores enzimáticos, anti nutrientes ou hemaglutininas.
Tudo o que requerem é um rápido cozimento no vapor. As vagens, ou feijões imaturos, são normalmente muito menos apreciadas do que merecem. Riquíssimas em vitamina K, vitamina C, vitamina A, manganês, fibras, potássio, ácido fólico, ferro, triptofano, proteínas e até mesmo ômega 3 (algo que não se encontra no feijão maduro), as vagens não são apenas práticas, leves e nutritivas, mas também deliciosas se preparadas a contento.

Uma forma sensacional de saborear este vegetal é usá-lo como substituto para a massa de macarrão penne. Selecione vagens novas, frescas e firmes, lavando-as bem e cortando a base com o cabo. Em seguida, faça dois cortes em diagonal, cortando cada vagem num formato semelhante ao penne. Cozinhe no vapor por dez minutos, ou até que fique ao dente. Cubra com o molho de sua preferência (evite os enlatados industrializados e prefira os orgânicos, especialmente os caseiros) e saboreie esta delícia nutritiva, sem glúten e sem excesso de carboidratos!

linda foto da vagem, daqui 

Comentários

Marilia disse…
Muito interessante este post! Adorei a sugestão,bj
sylribeiro disse…
Oi, Marilia! grande abraço e o bebê como vai?