HOMMUS BI TAHINE


Pasta de grão de bico: hommus bi tahine.
No maravilhoso livro Líbano - impressões e culinária, de Leila Mohamed Yussef Kuczynski, tem a receita que considero a melhor de todas que já provei; e que é preparada com muito capricho no restaurante Arábia.
A pasta de grão de bico é um patrimônio quase universal e cada familia tem a sua receita.
Mas a base é uma só, igual ao samba.
Tem quem use pimenta, páprica ou outros condimentos picantes, e tem quem que prefira saborear quase ao natural.
Nesta categoria eu me incluo.
A receita do restaurante Arábia é cremosa, lisa, suave, sem condimentos pesados, a gente sente o gosto do grão de bico, do tahine, do alho e do limão; todos eles na medida.
É um primor.
Se fico longe sinto saudade, se provo algo muito diferente sinto mais ainda.
Ela é de fato uma receita de família; que eu elegi como se fosse da minha.
Quando sigo à risca não tem erro; embora intuitivamente a gente possa fazer sem olhar como já fiz muitas vezes, nada se compara `a original.
E aqui está ela, perfeita, simples e sem mistério.



Ingredientes

2 xícaras de grão de bico seco
3 dentes de alho socados com um pouco de sal
1/2 xicara de tahine
1/2 xicara de sumo de limão
1 xicara de água gelada
azeite de oliva

Modo de Preparo

Deixar o grão de bico de molho em água de véspera
Tirar as cascas, lavar bem e cozinhar até ficar macio
Escorrer toda água e, ainda quente processá-lo usando o liquidificador, o processador ou o moedor,
de modo a obter uma pasta fina e homogênea.
Se ainda estiver grosso,  adicionar um pouco da água do cozimento, reservada à parte.
Em outro recipiente, misturar o tahine com á agua gelada, o suco de limão, o alho e o sal até fica bem homogêneo.
Juntar esse molho à pasta do grão de bico e misturar bem.
Finalize com azeite.

Decore com salsinha, páprica, snoubar, grãos de bico inteiros, ou simplesmente com azeite.
bon apetit!

serve 4 pessoas
foto Restaurante Arábia no Flickr
foto do livro, acervo pessoal.
restaurante Arábia, aqui

E a base é uma só!

Samba de uma nota só
Tom Jobim

Eis aqui este sambinha feito numa nota só.
Outras notas vão entrar, mas a base é uma só.
Esta outra é conseqüência do que acabo de dizer.
Como eu sou a conseqüência inevitável de você.
Quanta gente existe por aí que fala tanto e não diz nada,
Ou quase nada.
Já me utilizei de toda a escala e no final não sobrou nada,
Não deu em nada.
E voltei pra minha nota como eu volto pra você.
Vou contar com uma nota como eu gosto de você.
E quem quer todas as notas: ré, mi, fá, sol, lá, si, dó.
Fica sempre sem nenhuma, fique numa nota só.


Comentários

Silvia, queria elogiar o lay out do seu blog que está lindíssimo!!!!!
Você é um talento, bjo gde