AGUA MORNA PARA UM BOM DESPERTAR



A temperatura caiu bastante e o reloginho do organismo avisou que chegou a hora de fazer algo que venho protelando: uma pequena dieta.
Alimentação mais liquida e quentinha por dois ou três dias, evitando o gluten.
Recomendação que eu sigo sempre que possivel nas mudanças das estações.
Periodos curtos e calculados de abstinência de um ou mais produtos me cai muito bem.
Minha orientadora ayurveda me aconselhou esse procedimento, que foi confirmado pela Célia Mara nos exames de íris.
O nosso ser integral agradece, cuidar do que a natureza nos privilegiou; um organismo cheio de particularidades que merece ser muito bem tratado, respeitando o seu funcionamento com medidas que trazem mais conforto e saúde.

Pois esses dias eu aproveitei as sopinhas que já tinha aqui; do Integrão:
sopa de abóbora com manjericão
sopa de lentilhas com escarola
sopa de mandioquinha
sopa de cará com couve
Todas feitas no capricho com ingredientes de primeira linha, praticamente tudo orgânico.
Cada embalagem serve duas pessoas.
Enriqueço com quinoa ou amaranto, deixo engrossar e finalizo com croutons integrais, ou o delicioso pitta aperitivo na versão integral, além das preciosas lascas de pecorino romano.
Esses dias além da dieta eu me abstive do gluten, porisso usei a bolacha de arroz para fazer as vezes do crouton, ave maria, lá se foi o pacote que deveria durar uma semana.
E o resultado aparece rápido: leveza digestiva.

No meu primeiro "detox" desse ano, além das sopinhas e do chá de gengibre, estive mui bem acompanhada do medicamento homeopático de fundo e de dois produtos chave da Pianto: Extra e Lehaïm/Lev.
Quase quinze anos utilizando Pianto e Bio St. Joseph em períodos alternados, meu organismo responde muito bem a eles, apesar do custo meio proibitivo. Fico anos sem tomar, mas quando consigo, a benesse vem com tudo, obrigado Célia Mara.
Para equilibrar, sigo duas práticas que não custam nada e também valem muito.
O melhor de tudo é que não dependem entre si para promover eficácia:
1. Ao levantar, a prática agni-sara, uma pequena série de respirações ( pranayama ) que a Maisa Misiara outrora me indicou para a rotina diária e Flavia Maimoni me ensinou.
É ótimo para "acordar" o intestino e aquecer o sistema digestivo, segundo a Flavinha.
2. Água morna em jejum, este sim é o meu sagrado hábito de uma vida toda.
Aprendi quando criança com meu avô homeopata.
É tão incorporado ao meu dia a dia que nem me lembro de falar sobre isso, mas falo agora: além de apreciar esse ritual matinal eu não sei pensar minha vida sem ele; porisso é o titulo de hoje em merecida homenagem.
Faço minhas as palavras do meu avô: água morna em jejum para um bom acordar, e `a noite para um bom sonhar.
Sábio homem.

 

Receitas aqui, outras ali, dicas idem, idem; incentivos não faltam, veja a preciosidade que caiu nas minhas mãos.
O livro da Rita Taraborelli, Comidinhas Vegetarianas, mamma mia, quanta coisa boa!
Praticamente todas as receitas o meu paladar aplaude, se identifica, se afina.
Como tem gente boa lançando livros, fazendo programas na TV, escrevendo bem sobre aliementação, receitas... e para nosso beneficio a maioria delas está disponivel free na web em muitas midias, nos blog das Ritas ( Lobo e Taraborelli ), nos videos, no site da gnt, entre tantos outros, que boa hora!
Falando em boa hora, me rendi totalmente a um timer de cozinha, que uso para quase tudo, ufa, descanso para meu celular, que correu risco em cada passada na cozinha.
Hora boa para aprender é agora: namastê!

imagens de acervo do livro Comidinhas Vegetarianas, timer, agni sara, aqui, copo dágua daqui

.
.

Comentários

Morgana Gazel disse…
Também sou vegetariana, gostei da receita de água morna, vou adotá-la. Obrigada.
sylribeiro disse…
Oi, Morgana, adote sim, vc vai ver que benção!