TIA, AMEI A DICA DO GIZ



Oi Silvia, como vão as suas gavetas?
Quer tentar mais essa dica?
beijos da tia

Oi tia, a casa e a ocupante da casa estão ainda se adaptando um ao outro, mas as coisas estão indo bem!
As gavetas é que estão um pouco emperradas por conta de muito tempo sem uso, e também rescendem aquele aroma de "armário fechado", que não é de mofo, mas engana.
Estive com um marceneiro que disse que se lixar as gavetas elas voltarão a abrir, ufa.
Eu limpei tudo com álcool, passei vinagre, pinguei gotas de óleo essencial de tangerina.
Foi ótimo, mas durou pouco...

Pessoas sensiveis aos aromas distinguem "blends", e `as vezes eu passo muito perto disso.
Alguns aromas me deixam mais, ou menos sensibilizada.
Por exemplo, cheiro de carro novo me faz querer abrir as janelas, cheiro de armário novo, cheiro de armário velho também me incomodam, alguns perfumes nas lojas me fazem querer sair correndo e os fixadores sintéticos de alguns perfumes para mim lembram cheiro de laquê.
Devo ter uma espécie de memória olfativa, as vezes respiro e sinto o mesmo "ar" de algum dia do passado, com detahes inclusive.
Na última casa que morei, logo que entrei comentei com meu amigo Jorge: não vou conseguir ficar aqui, a casa não recebe o sol, eu não tinha muita noção do norte ali, e isso se confirmou logo depois.
Apesar de tudo a luz era incrivel e consegui captar um solzinho na area de serviço durante o inverno.
Fiquei dez anos, muito bem acompanhada de um sterilair, que ainda anda comigo.

As gavetas...meu assunto cavernoso: deixar as portas dos armários e gavetas abertas ajuda, tenho feito isso parte do dia, principalmente quando tem sol.
Para passar internamente continuo apostando no vinagre e nos óleos essenciais, e por que eu uso homeopatia prefiro passar longe das cânforas.
A dica da minha tia vem a calhar e vou fazer o quanto antes, os agradecimentos daqui vão para quem lançou essa incrivel idéia que funciona e a partilhou, eu não sei a fonte original.
Muito obrigado `a minha tia, que é uma das maiores pesquisadoras que eu conheço, e de quem espero ter herdado um genezinho desses!

A dica do giz
Faça uma trouxinha de tule com pedaços de giz, ou deixe-os ao natural amarradinhos com uma fita, e coloque-os nas gavetas, repartições do guarda-roupa, próximo ao varão das camisas, cantos das prateleiras, etc.
A umidade fica retida no giz.
Depois de algum tempo ele deixa de absorver.
Para reutilizar coloque o giz no forno, a baixa temperatura.
Reciclável é pouco!


Enquanto os aromas da casa se harmonizam; na cozinha que não tem cheiro algum a não ser das especiarias que estão na prateleira, eu preparei novamente aquele delicioso chocolate derretido com agave, coloquei uma pitada bem generosa de cardamomo, outra de cúrcuma e devorei um prato fundo de morangos orgânicos com essa gostosura.
As fotos do celular até que ficaram boas, mas a ultima, onde estão prontinhos no prato ficou um desastre totalmente fora de foco.
minha máquina ainda não voltou, mas também eu não a procurei...
Namastê!

A imagem é uma obra de arte que tenho estudado, chamada Woman in Yellow Strink, de um artista austríaco chamado Albert Reuss, e estou encantada com esta obra, que cores!
vale a pena partilhar.

WOMAN IN YELLOW STRINK
Albert Reuss (1889-1976)


Comentários