MINGAU DE AVEIA:PAT FELDMAN

A famosa receita da Pat, que eu mais adoro por ser uma receita salvadora e muito saborosa, com ela eu comecei entrar nos eixos de verdade e trouxe de volta um hábito da minha infância, que erroneamente havia parado de consumir, a manteiga, maravilha para as nossas engrenagens! Trouxe um novo hábito que é deixar tudo de molho como ela ensina, e o mingau, claro! e trouxe o iogurte caseiro, o soro, etc...quanta coisa boa veio depois disso.
Tá tudo aqui.
Agradecimentos `a Pat, sempre!


MINGAU DE AVEIA PARA O CAFE DA MANHA/link da materia original

Para melhor assimilação pelo organismo e maiores benefícios, a aveia do mingau deverá ser deixada de molho na noite anterior, ou até 24 horas antes, para que passe por um processo de lacto-fermentação. Na manhã seguinte, o mingau ficará pronto em menos de 5 minutos – um verdadeiro mingau instantâneo!

Ingredientes (4 pessoas):
1 xí­cara de aveia em flocos;
1 xí­cara de água morna + 2 colheres (sopa) de soro de iogurte fermentado;
1 xí­cara de água + 1/2 colher (chá) de sal;
1 colher (sopa) de sementes de linhaça;
Manteiga orgânica;
Mel orgânico puro.
Modo de Preparo:
Misture a aveia com a combinação de água morna e soro.
Deixe repousando à temperatura ambiente por 7 a 24 horas.
Leve a xí­cara de água e sal à fervura.
Adicione a aveia que foi deixada de molho, reduza o fogo ao mí­nimo, tampe e deixe assim por 4 minutos.
Enquanto isso, aproveite para moer as sementes de linhaça em um moedor caseiro de café.
Retire a aveia do fogo, misture as sementes de linhaça moí­das, acrescente uma boa quantidade de manteiga orgânica, 1 a 2 colheres (sopa) de mel orgânico puro ou maple syrup ou rapadura a gosto (mas cuidado para não exagerar).

Notinhas : nem sempre eu uso linhaça na receita porque tomo o leite dela no café da manhã, batido com mamão, e o mingau é tão saboroso só com manteiga e agave, ou melado, que eu incremento muito menos que a Pat, para comer outras coisas tambem na refeição e não ficar muito pesado.
Eu vario muito o tipo de grão, tem dia uso aveia, ou farinha de arroz integral, ou quinoa em flocos, e algumas vezes misturo aveia com flocos de quinoa e fica muito interessante tambem. Tentei com a farinha de côco e nao deu certo, a que eu comprei é muito rústica e não se hidratou no molho, quando encontrar uma mais fininha, parece que o Dr. Organico vai trazer das Filipinas uma farinha especial, eu vou usar tambem.
Namastê!


Leia com atenção este artigo

Afinal, qual é a vantagem de se deixar grãos e sementes de molho previamente? Deixar os grão de molho não diminui seu valor nutritivo? Deixar grãos e sementes de molho não altera o seu sabor?
São estas e muitas outras dúvidas que surgem, e que eu espero sinceramente conseguir responder no texto a seguir.
A bem intensionada recomendação atual para se consumir grãos integrais como faziam nossos ancestrais e farinhas de grão integrais é, em parte, enganosa, e pode trazer sérias consequências para a nossa saúde. Sim, nossos ancestrais consumiam grãos integrias, mas nem de longe, da forma como consumimos atualmente.
Nossos ancestrais, sabiamente, deixavam de molho ou fermentavam seus grãos antes de onsumi-los ou prepará-los na forma de mingaus, pães, bolos, etc. Um rápido passeio pela culinária tradicional do mundo nos prova esta verdade: ma Índia, o arroz e a lentilha são fermentados por pelo menos 2 dias antes de serem preparados como idli e dosas; na África os nativos deixam a farinha de milho grossa deixada de molho durante a noite para depois adicioná-la em sopas e caldos, e eles fermentam milho ou amaranto por vários dias para então produzir um mingau azedo, conhecido por ogi; em outras culturas o mesmo prato era preparado com aveias deixadas de molho; em alguns países orientais e latino-americanos o arroz passa por uma longa fermentação antes do seu preparo; a Etiópia tem seu tradicional pão injera, preparado com o grão “teff”, que é fermentado por muitos dias; bolos de milho mexicanos, conhecidos como pozol, são fermentados em folhas de bananeira; antes da introdução dos fermentos comerciais, os europeus assavam pães pesados, massudos, feitos a partir de fermentação natural; os pioneiros norte-americanos eram famosos por seus pães de massa azeda, panquecas e biscoitos.
Talvez alguns senhores e senhoras de mais idade ainda se lembrem da recomendação de deixar de molho, que vinha escrita nos pacotes de aveia para mingau de antigamente…
LIQUE NO TITULO PARA LER TUDO!

blog da Pat, Crianças na cozinha, link

Comentários

Marilia disse…
Dei uma lida no artigo dela tb e entendi direitinho! Valeu a dica,
bj,
Marília
sylribeiro disse…
Oba, vc vai ver como vai ser bom para vc! Eu deixo tudo pelo menos 24 horas de molho com gotas de limão, depois lavo e cozinho com as especiarias, bjs
Mylena de Araujo disse…
Já li este post e compreendo a necessidade de deixar de molho, mas, a questão é: essa prática não acarretará na perda de algum nutriente?
sylribeiro disse…
Bom dia Milena como vai? A Pat Feldman explica detalhadamente o motivo de deixar de molho, que é eliminar as toxinas, são elas que causam perda de nutrientes e ainda fazem mal a saude. Esse assunto cada vez mais tem sido explorado na mídia, porisso se vc tiver alguma duvida da uma pesquisada no proprio site da Pat Feldman que ela tem varios artigos sobre isso! boa sorte espero ter te ajudado. COnfio muito na opinião dela, porisso sigo essa recomendação desde que aprendi, ha muitos anos atras, so tive ganhos. ABraço