O Sol que cura e o Sol que mata


O Sol que cura e o Sol que mata
MATERIA DO BLOG menina do dedo verde

Para a nossa civilização contemporânea, pouco importa a passagem do Sol. As estações do ano passam despercebidas, umas atrás das outras. Os dias não são nem mais longos, nem mais curtos durante o ano, pois nós acendemos a luz. Quando está frio, liga-se o aquecedor; e quando está quente, liga-se o ar condicionado. Ao contrário dos povos antigos, que durante o dia ficavam expostos ao sol e ao ar livre, nós vivemos isolados do Sol, entre quatro paredes – em casa, no trabalho, nos automóveis, ônibus, metrôs e trens.

Até a época de nossos bisavós – época em que não existiam antibióticos, transfusões de sangue e cirurgias – as propriedades curativas e preventivas do Sol eram reconhecidas por todos. Nos hospitais, os pacientes eram obrigados a tomar “banho de Sol” diariamente. Aqueles que não podiam andar, eram levados em cadeiras. E aqueles que não podiam sentar, eram levados com cama e tudo!

Da minha infância em São Paulo, guardo a lembrança da importância dada pelos adultos a expor suas crianças ao Sol e ao ar livre. Hoje, vejo por todo lado carrinhos de bebê tapados com mantas. As crianças – pálidas! – deixaram de passar o dia nas praças e parques, para passá-los dentro de creches e escolas desde a mais tenra idade. “Brincadeiras ao ar livre? O que é isso??”
Escola, lições de casa, aulas fora da escola, cursinho, vestibular, faculdade, estágios, trabalhos, pós-graduação… nossa vida passa em confinamento. Sem Sol.
.Nas últimas décadas, os médicos, a mídia e as instituições mais importantes da área de saúde têm advertido a população para se esconder do Sol. “O Sol envelhece”. “O Sol queima”. “O Sol dá câncer!”. Interessante observar que a incidência de melanoma, um câncer maligno de pele, vem aumentando continuamente, apesar da exposição cada vez menor ao Sol e uso cada vez maior de protetores solares pela população.
Um dos maiores protetores celulares, da pele e de todo o organismo, contra o câncer, é a vitamina D. E a vitamina D é fabricada na nossa pele a partir dos raios ultravioleta B do Sol!
O Sol é a nossa principal fonte de vitamina D.
Os raios ultravioleta B – único comprimento de onda capaz de se transformar em Vitamina D – é bloqueado pelos protetores e bloqueadores solares. Nós estamos vivendo, mundialmente, um período trágico na saúde da população devido à má compreensão da natureza e da necessidade dos raios ultravioleta B e da Vitamina D.
.A Vitamina D possui papel importante na prevenção de uma série de doenças, como por exemplo:
Enxaqueca
Insuficiência da glândula adrenal
Mal de Alzheimer
Alergias
Doenças autoimunes, como esclerose múltipla e artrite reumatóide
Câncer de intestino grosso, mama, pele e próstata
Depressão
Diabetes
Intolerâncias alimentares
Hipertensão arterial e doenças cardiovasculares
Infertilidade
Distúrbios de aprendizado e distúrbios do comportamento
Cáries dentárias, dentes “encavalados”
Miopia
Obesidade
Osteopenia, osteoporose
Mal de Parkinson
TPM
Psoríase

Pesquisas científicas indicam que a deficiência de vitamina D possui influência na causa de 17 tipos de câncer, além de doenças cardíacas, derrame, diabetes, pressão alta, depressão e dor crônica. Isso não significa que a única causa dessas doenças seja a deficiência da Vitamina D, nem que você estará totalmente a salvo de contraí-las se apresentar níveis normais de vitamina D. Significa apenas que as múltiplas influências da Vitamina D na saúde não podem mais ser desprezadas.

Em 19 de fevereiro de 2008, o jornal The New York Times publicou um artigo sobre a Vitamina D como o possível nutriente da década. Na minha opinião, a vitamina D não é o nutriente da década, mas sim do Século!
O artigo cita o estudo de pesquisadores da Creighton University, nos EUA, duplo-cego, aleatório e controlado, em 1179 mulheres pós-menopausadas, conduzido por 4 anos e publicado no American Journal of Clinical Nutrition no qual as mulheres que tomaram 1100 U.I. (”Unidades Internacionais”) de Vitamina D3 tiveram incríveis 80% menos câncer que aquelas que não receberam esse nutriente.

A médica Dra. Susan Thys-Jacobs, diretora clínica do Centro de Metabolismo Ósseo do Centro Hospitalar St. Luke’s-Roosevelt da Faculdade de Medicina e Cirurgia da Universidade de Columbia em Nova Iorque, alertou, em dois estudos publicados na revista científica Headache, em 1994 [34(10):590-2 e 34(9):544-6], sobre o papel da Vitamina D no tratamento da enxaqueca. Esses estudos foram convenientemente esquecidos, e jamais tentou-se reproduzi-los ou aprimorá-los desde então. A quem interessa patrocinar estudos científicos caríssimos com um nutriente que pode ser obtido de graça através do Sol? Quem lucraria com isso?
A indústria farmacêutica lucra bilhões de dólares “protegendo-nos” dos raios ultravioleta B através dos “protetores” e “bloqueadores” solares.

Nós passamos a vida tão confinados, que perdemos completamente a familiaridade com o sol. Em outras palavras, desaprendemos a tomar sol. Na verdade, muitos de nós sequer chegamos a aprender! “Afinal, quem precisa se preocupar com isso, uma vez que existe o protetor solar?”
Há várias décadas atrás, quando o uso do “filtro solar” ainda não era difundido e a moda era passar “óleo bronzeador” na pele, os brasileiros possuíam uma familiaridade muito maior com o Sol e seus efeitos. Alguns de nós, por vezes, sentíamos literalmente na pele a dor e desconforto de uma queimadura solar, e essa dor nos ensinava uma grande lição: evitar a exposição solar exagerada.

Antigamente, o atrativo da praia era… a praia! Sim! A areia e o mar – e só! Passava-se as férias de verão (3 meses) e de inverno (1 mês) na praia – na areia e no mar, literalmente. E quem morava no litoral ia à praia sempre que podia! Hoje em dia, muitas pessoas que moram em paraísos litorâneos, como o Rio de Janeiro, não freqüentam praia há anos!
Hoje em dia, o atrativo da praia passou a ser comida, sob a forma de petiscos industrializados repletos de corantes e conservantes, frituras em óleos vegetais totalmente oxidados, farináceos, refrigerantes, bebidas alcoólicas… é só espiar as propagandas de cerveja na televisão, para se ter uma idéia. Quem leva sua própria comida caseira para lanchar na praia é “farofeiro”. Bom mesmo é comprar tudo na hora: camarão frito, bolachas, batata frita, peixe frito (tudo com uma pitada generosa de glutamato monossódico, é claro), picolé, refrigerante, cerveja… Que saudades da época em que um pescador grelhava o peixe recém-pescado na nossa frente, ali mesmo na areia! … e da época em que a comida era a última coisa em que se pensava, quando íamos à praia! Conversava-se à sombra, tomava-se “banho de sol”, caminhava-se, entrava-se no mar, brincava-se na areia, olhava-se para o horizonte…
Com o advento do filtro solar, o Sol passou a ser demonizado como nosso pior inimigo. A indústria farmacêutica passou a investir pesadamente na formação de opinião médica negativa com relação a toda e qualquer exposição ao Sol.

Campanhas como esta criam, na classe médica e na população, uma sensação de medo, que em última análise leva ao aumento no consumo dos produtos que a patrocinaram. O retorno financeiro é imenso! Só você é que não tem nada a lucrar!
Nossa pele precisa dos raios solares ultravioleta B para fabricar a vitamina D, importantíssima para nossa saúde e bem-estar. A atual campanha no sentido de evitar, indiscriminadamente, a exposição ao Sol, pode estar colaborando para o aparecimento de muitos tipos de câncer em diversos órgãos, além de osteoporose, dor crônica e depressão, entre outras doenças.

Reportagem completa no enxaqueca do competente Dr. Feldman.

NP
essa materia vai para o outro blog tambem, de tao importante, quanto mais gente ler, mais saude, sem economias.

MATERIA DO BLOG menina do dedo verde
imagem blog "viver pura magia"

Comentários

Dia Mundial disse…
Olá Silvia, tudo bem?

Antes de mais nada, gostaria de me apresentar: meu nome é Vitor e sou colaborador do blog www.diamundialdaar.com.br. Não sei se você conhece, mas o Dia Mundial de Conscientização sobre a Artrite Reumatóide é resultado da parceria da SBR – Sociedade Brasileira de Reumatologia e da farmacêutica Roche.

Além disso, o Dia Mundial conta com a participação das sociedades locais de reumatologia e associações de pacientes. Ele acontecerá no dia 12 de outubro em seis cidades: Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Petrópolis, Florianópolis e Vitória.
Para aumentar a visibilidade da iniciativa criamos o blog AR. O nosso principal objetivo é promover uma discussão sobre o assunto na web. Durante a campanha, vamos publicar diversas novidades para este ano, que tem como mote “Vamos trabalhar juntos” e uma cobertura completa das ações que serão realizadas

Como você já publicou post sobre esse assunto, gostaria de convidá-lo a contribuir também para o nosso espaço. Se você tiver algum material para divulgar no blog é só me enviar. O espaço é colaborativo e aberto à qualquer pessoa. Fique também à vontade, se for do seu interesse, divulgar a iniciativa no seu espaço.

Aproveitando o e-mail, gostaria de saber se você deseja receber algumas informações publicadas no nosso blog ao longo da campanha. Participe da nossa rede!

Qualquer dúvida estou à disposição,

Um abraço,

Vitor
www.diamundialdaar.com.br
diamundialdaar@maquina.inf.br
sylribeiro disse…
bom dia Vitor tudo bem?
muito obrigado por seu comentario, gostaria que vc entrasse em contato com os autores desse artigo maravilhoso que publiquei, principalmente o dr feldman, para que vc possa ter material de qualidade para seu trabalho.
espero contribuir com o que eu puder, claro, porém minha area é limitada pois meu blog é um arquivo de tudo que acho interessante, nao tem nada especifico.
mas sempre que eu tiver algo que possa ser util ao proposito de voces, contem comigo.
na mensagem tem os dois links, do autor da postagem original ( menina do dedo verde ) e do dr feldman
aproveite os contatos e sucesso em seu caminho.
Carol Daemon disse…
que simpático, obrigada pelo espaço
sylribeiro disse…
ah aprendo muito na sua pagina, sou agradecida por tudo que vejo ali!